ADEUS UBV, VIDRO IMPRESSO E VIDRO FANTASIA!

Com saída da fabricante que adotava os nomes impresso e fantasia, produto passa a ser comercializado com o nome de vidro texturizado

Dez anos após inaugurar com muita pompa o quarto forno para fabricação de vidro impresso (fantasia) da empresa, investindo R$ 70 milhões, ampliando sua capacidade de produção para 240 toneladas por dia, a União Brasileira de Vidros (UBV) surpreende o mercado ao anunciar o encerramento total de atividades. Com o fim da empresa pode acabar também a utilização da nomenclatura “vidro impresso” e “vidro fantasia”, já que a única concorrente, Saint-Gobain Glass (SGG), adotou recentemente o nome “vidro texturizado” para essa mesma linha de produtos.

Empresa participa em 2018 pela última vez da feira Glass, somente para esvaziar estoques

Em nota divulgada sem aviso prévio ao mercado a empresa anunciou o escoamento do forno no dia 3 de abril, seguido do início imediato da dispensa do pessoal de produção e manutenção. O restante, do total de 140 funcionários, será dispensado gradativamente até a metade de 2018, para venda do estoque.

DECISÃO RACIONAL

Segundo os administradores da empresa, não houve erro estratégico, apenas circunstâncias de mercado aliado a uma decisão racional do grupo de investidores, ligados predominantemente ao ramo bancário. A realidade é que o chamado vidro fantasia, posteriormente denominado vidro impresso e, mais adiante, pelos dois nomes simultaneamente, foi sendo substituído por outros tipos no envidraçamento mundial, incluindo o Brasil.

Há dez anos a venda de vidro impresso representava em torno de 10% do total de vidros planos produzidos no Brasil. Atualmente esse mercado representa em torno de 5%. Na época da inauguração do forno a UBV inovou ao lançar chapas e espessuras maiores, abocanhando dois terços do mercado. Entretanto, em pouco tempo, a única concorrente nacional, a SGG, renovou seu sistema de produção e passou a recuperar gradativamente o mercado perdido. Neste fechamento da UBV a estimativa era de que esta detinha por volta de 55% do mercado.

O mercado brasileiro em crise e dando mostras de lenta recuperação também influenciou na escolha dos investidores do grupo, que preferiram utilizar seus recursos para investir em áreas com maiores possibilidades de lucro, ao invés de aplicarem o dinheiro em uma reforma para proporcionar uma sobrevida de poucos anos à linha produtiva atual. 

PUBLICIDADE

Saint-Gobain Glass lança aramados em novas cores

Na área publicitária, tanto UBV quanto SGG investiram durante algum tempo em mídias e mostras de decoração e eventos voltados a arquitetos e decoradores de ambientes. Ultimamente, entretanto, reduziram esse investimento. A principal diferença recente entre as duas empresas na área publicitária é que a SGG continuou investindo em mídia impressa assim como na digital, incluindo anúncios inseridos ao ramo vidreiro. já a UBV optou por ir totalmente para o digital.

SEM CONCORRÊNCIA

Com a retirada estratégica da UBV do mercado nacional a Saint-Gobain Glass passa a deter o monopólio do produto no Brasil. Com essa nova situação, a primeira mudança é no nome do produto, pois a multinacional francesa alterou recentemente a nomenclatura do produto, passando a denominá-lo “Vidro Texturizado”. Se esse nome irá ou não ser adotado pelo ramo, só o tempo irá dizer.

Segundo alguns distribuidores e temperadores ouvidos por nossa reportagem, e que preferiram não se identificar, são esperadas as seguintes mudanças no mercado:

• Com falta de concorrência, alguns padrões pouco lucrativos ou com pouca saída da SGG serão descontinuados. Essa ação, aliás, é vista com bons olhos por alguns deles, que preferem trabalhar com uma variedade menor do produto.
• Trata-se do fim das denominações “vidro impresso” e “vidro fantasia”, porque a SGG já havia abandonado há vários anos a denominação “vidro fantasia” e substituiu recentemente a denominação “vidro impresso” por “vidros texturizados”.
• Projetistas e construtores evitarão utilizar, desde agora, vidros UBV em seus projetos, limitando a utilização apenas a boxes e instalações em que não seja necessária a reposição de peças no futuro.
• Grande parte da carteira de clientes da UBV passará a comprar da SGG e preço do produto deverá aumentar (devido à lei da oferta e da procura). Indiretamente a Cebrace, que é ligada à SGG, irá se beneficiar dessa migração.
• Para atender ao excesso repentino de demanda a SGG irá importar vidros de suas unidades em todo o mundo. Gradativamente importadores de vidros chineses e de baixo custo passarão a atuar mais intensamente no Brasil.

Procurados pela reportagem da Revista Tecnologia & Vidro a direção da SGG comunicou, através de sua assessoria de imprensa, que não irão se manifestar sobre a nova situação de mercado criada com o fechamento da UBV.

ATUALIZE-SE COM OS TEXTURIZADOS SGG

Agora que a SGG é a única a produzir o texturizado, conheça os produtos que a empresa divide em três linhas: Stillo, Vitta e Tecnika. Alguns produtos possuem texturas semelhantes à dos já antigos e descontinuados produtos da UBV (Arena C, por exemplo possui textura semelhante ao antigo pontilhado e o Quadriglass ao Quadrato). Aramado e Canelado, além de textura semelhante, possuem os mesmos nomes. E sai do mercado o tradicionalíssimo Martelado. T&V

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhe
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Precisa de ajuda?