COLAGEM E VEDAÇÕES EM SACADAS, GUARDA-CORPOS E FACHADAS

Limpeza adequada tanto do vidro quanto do substrato, incluindo o perfil, é uma das principais orientações do consultor Fabrice

Fabrice Barriac, consultor em colagens e vedações

Durante a realização do Encontro Nacional de Fabricantes e Revendedores de Kits para Vidraceiros e Serralheiros (Enakit), realizado no fim do ano passado, Fabrice Barriac, consultor em colagens e vedações há 30 anos, falou sobre sua especialidade, aplicada no caso de fechamentos de sacadas, guarda-corpos e fachadas.

O consultor explicou, na ocasião, que quando um projeto necessita de colagem estrutural ou vedações com atendimento à norma de colagem de vidros, sua atuação se faz necessária. Ela começa com entendimento do projeto, avaliação do consumo e cálculo da junta e escolha do produto mais adequado. No fim, faz o acompanhamento da aplicação ou colagem e uma vistoria de liberação.

Fabrice alertou para o fato de que no mercado existem três fabricantes multinacionais que fabricam selantes e silicones, outros que somente envazam e outros que ainda modificam o produto, comprando tambor de silicone e dissolvendo com solvente para baratear.

No evento, o consultor divulgou os produtos que costuma indicar. São eles:

ESPECIFICAÇÃO BÁSICA DE SELANTES PARA VEDAÇÃO:

• Selantes acéticos: GE/Momentive (SCS) 8800; e Dow Corning (DC 781 / DC 786)

• Selantes neutros: GE/Momentive (Top 490 ou SCS 2900); Dow Corning (DC 791 ou DC768); e Sika (Sikasil WS 605S)

Especificações básicas de selantes:

• Estruturais monocomponentes: GE/Momentive (SSG 4000 AC ou SSG 2000); Dow Corning (DC 3-117 ou DC – 995); e Sika (Sikasil SG 18)

• Estruturais bicomponentes: GE/Momentive (SSG 4600); Dow Corning (DC 983); e Sika (Sikasil SG 500).

LIMPEZA

Consultor recomenda silicones estruturais em ambientes
externos de alto risco

Toda vedação ou colagem estrutural exige limpeza perfeita dos substratos, incluindo perfil e vidro, para uma perfeita adesão. A limpeza deve ser feita com álcool isopropílico ou xilol. Não sevem para isso o álcool combustível ou o vinagre de álcool, porque possuem muita água em sua formulação. Fabrice destaca que quase 90% dos problemas que ocorrem após a instalação dos vidros são decorrentes da falta de limpeza adequada.

Quando montado em cavaletes, a limpeza dos perfis e dos vidros deve seguir o seguinte procedimento:

• Colocar o quadro de alumínio nos cavaletes verificando que está perfeitamente no esquadro. No caso do vidro, deitar cada peça nos cavaletes com a etiqueta para baixo.

• Utilizar pano branco, limpo e seco ou a gaze.

• Abrir com cuidado a tampa da garrafa PET de isopropanol (álcool isopropílico) ou xilol.

• Derramar até molhar bem o pano ou a gaze.

• Esfregar vigorosamente o perfil até sentir que a sujeira está saindo. No caso do vidro, incluir as laterais e as bordas.

• Pegar outro pano branco (limpo e seco) ou a gaze.

• Esfregar para secar o perfil onde foi passado o pano anterior antes da evaporação do solvente.

• Verificar se o segundo pano está limpo. Caso não esteja, recomeçar a limpeza.

PROMOTOR DE ADESÃO

Fabrice recomenda utilização de primers (promotores de adesão) somente se for recomendado pelo fabricante do silicone. “É meio chato de se usar, não pode aplicar em excesso porque se produz um pó branco e também não se pode aplicar menos, então se corre um risco se a aplicação não for exata”, explica o consultor.

APLICAÇÃO

MS Polímeros e poliuretanos não são recomendados para aplicações externas como fachadas, guarda-corpos ou sacadas

A aplicação do silicone é uma etapa também importante. Deve ser feita com o ritmo adequado para se evitar a formação de bolhas e de uma única vez. O procedimento indicado pelo consultor, após proteger o perfil ou o vidro com fita crepe, é o seguinte:

• Cortar o bico do tubo de plástico em ângulo reto no diâmetro adequado à aplicação.

• No caso de utilização de pistola pneumática com pressão, regular por volta de 3 a 4 bars.

• Aplicar o selante com o bico perpendicular à junta para preencher totalmente o espaço.

• Aplicar o selante em ritmo e pressão regular, deixando um ligeiro excesso para fora da junta.

• Deixar um espaço de 20 a 30 cm para aproveitar as sobras do silicone na hora do acabamento.

• No acabamento, com a espátula larga (10 ou 12 cm), compactar o selante na junta.

• Recolher o selante em excesso na outra espátula e preencher o espaço livre da junta, deixado para este fim.

• Dar acabamento com a espátula, alisando o produto de maneira uniforme.

• Retirar as fitas crepes.

• Limpar as sujeiras de silicones deixadas nos vidros com pano molhado no álcool isopropílico.

• Deixar o silicone curar até vistoria do técnico responsável.

GUARDA CORPOS E FACHADAS

Se uma junta de vedação criada é muito fraca para o tamanho da movimentação, o selante irá romper ou trincar. No caso de fachadas ou guarda-corpos
instalados em áreas externas esse risco é grave, pois a pressão de vento em edifícios pode chegar a oito toneladas por peça de vidro.

Fabrice recomenda a utilização de silicones em ambientes externos e, no caso de aplicações de segurança, como em guarda-corpos externos, sacadas e fachadas, o silicone estrutural. “A utilizaçãode poliuretano ou de produtos tipo MS Polímeros sofrem com a ação dos raios ultravioleta, reduzindo seu volume com o passar do tempo ou ressecando e perdendo suas propriedades elásticas”, explica.

Aliado a essas recomendações estão as instruções de nunca utilizar silicone acético em concreto, pois o produto ataca o concreto; e nunca aplicar silicone sobre alumínio bruto (somente nos tratados).

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhe
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Precisa de ajuda?